No Meio da Multidão

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

ESSE BLOG NÃO EXISTE MAIS

Tô com dó de deletar, bjs

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Foi bom enquanto durou.

Me mudei pra . O motivo? As configurações desse blog deixaram de ir com a minha cara e eu perdi um monte de coisas (não posts, graças ao bom Deus). Enfim, quero ver todo mundo lá. Não me abandonem. Obrigada.

P.S: Cara, vou sentir saudade desse blog. Que coisa!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Gente grande.

Ok, agora conversa comigo do alto dos seus catorze anos e do seu um metro e setenta e quatro, com a maturidade que eu sei que você tem, lá no fundo. Procura e vem conversar comigo.
Você já não está bem grandinho pra esses jogos? De me dizer que tá apaixonado, que "ela" entrou no MSN, que fulana de tal tá gostosa. Já não deu? Eu achei que pudesse falar com você de igual pra igual, porque você sempre parece muito mais novo do que eu? Merda.
É, ponto fraco. Logo você, que eu achei que fosse pra sempre, porque era diferente de tudo e de todos. Olha só, eu quase te odeio agora.
Idiota, é isso o que você é. É isso que você sempre foi, e só agora eu vejo. Eu te amava, sim. Você não precisa jogar na minha cara. Porque eu não jogo na sua tudo o que você me disse naquele sábado perfeito. Eu não joguei na cara o que você sussurrava no meu ouvido quando me abraçava, eu não joguei na cara o quanto você foi idiota e o quanto você me perdeu. O quanto eu perdi a fé que eu tinha em você. Você botou tudo a perder. De novo. Mas eu não me surpreendo.
O fato de você ser mais velho não te tornou mais maduro. Nem mais corajoso. I-d-i-o-t-a-s.
Eu e você.

P.S: Agora faltam 16 dias. Aumentou, mas eu supero. Dia primeiro, aí vou eu!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Entre tapas e beijos.

Eu já vou conversar com você com vinte pedras na mão, porque eu nunca sei o que você vai dizer, se nós vamos brigar, você e sua bipolaridade.
Mas, de verdade, eu gosto tanto de brigar com você. Tenho vontade de quebrar o computador, a sua cara, tudo, mas adoro. Adoro você também.
As coisas que você diz. Eu também sinto sua falta. Vou no seu prédio qualquer dia desses. Prometo.

Te amo, porque não? :)

domingo, 12 de julho de 2009

Feito rascunho.

Eu não te perdi, nem você me perdeu. Mas nós nos perdemos, e você sabe. Nós não nos temos mais, porque... Acabou, é simples.
Daí eu te encaro como um rascunho, eu rascunhei você. Eu apaguei e modifiquei você várias e várias vezes, até ficar bom. Mas você não deixou de ser um rascunho, um projeto. Eu não tive tempo de te passar a limpo. Aliás, eu até tive. Mas eu não quis. Eu continuei te modificando, modificando, modificando, até que eu vi que mudar mais seria em vão, e meu trabalho em você estava acabado. Eu te deixei no meio, sem terminar, sem passar a limpo, abandonei. Assim como eu faço com grande parte dos meus planos. Você era um plano.
Você também me rascunhou, eu nunca disse que não. Você me mudou. Mas eu me passei a limpo. Eu vi que você não o faria mais, então tratei de fazer por mim mesma. E um projeto finalizado não poderia perder tempo com um rascunho, convenhamos. Sei que não sou nenhuma maravilha, mas você também não é, e eu não era a única a achar que merecia coisa melhor.
Eu reagi melhor do que eu pensava sobre abandonar você assim, incompleto. Na metade. Eu faço isso com tantas coisas que com você não seria diferente. Não pense que é frieza, é só que... Bom, é só que eu notei que se eu não te finalizasse, você não faria isso, e se você não fizesse, quem faria por você? Eu não queria me responzabilizar, então, te deixei pela metade. E até hoje você não deixou de ser rascunho, e cada vez mais eu vejo que fiz o melhor.

P.S: Não precisa entender, haha.

sábado, 11 de julho de 2009

Das mais bonitas mentiras.

Num dia em que está tudo bem:
- Hey, porque você não foi lá na festa junina?
- Eu quebrei a perna.
- Ah, falou.
- É sério!
- Quando você quebrou?
- Dia 18.
- Sei, sei. Tudo bem, então.

No meio de uma briga:
- E quer saber porque eu não fui naquela merda de festa junina?
- Porque?
- PORQUE EU NÃO QUIS!
- Foda-se.



Eu já cansei.
Precisa dizer mais?
Me deixa em paz
Me deixa
Me deixa
Me deixa
"Me deixa aqui e solta a minha mão."
Solta.
E me deixa.






Pra sempre.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Dos palavrões ditos em alto e bom som.

Lorena, Lorena, há noites em que eu penso em você sem parar. É sério! Eu sei que nós nos distanciamos, mas eu te amo, você sabe, né?
Agora para quem está realmente lendo, que eu sei que Lorena jamais lerá isso, a não ser que eu peça. De qualquer forma, eu não sou de divulgar meu blog, e Lorena não gosta de ler. Para quem está lendo, Lorena é e foi amiga de verdade, ainda que hoje em dia nós nos falemos pouco. Ainda que eu a tenha excluído do meu MSN simplesmente porque não conversávamos mais. Mas querem saber? Lorena entenderia.
Porque nós brigávamos e nos xingávamos quando nada estava bem, e ficávamos bem depois disso. Eu nunca precisei pisar em ovos com ela, nem ela comigo. Lorena era tão espontânea que acho que muito da minha timidez que foi embora foi "culpa" dela.
Lorena dizia quando eu estava feia, sem invejas e neuras. Me emprestava e me cobrava de volta e me permitia que cobrasse também, sem as broncas que eu tanto levava por emprestar coisas para colegas que nunca mais me devolviam. Chorou comigo no banheiro milhares de vezes, me bateu, desceu o nível, riu alto. Tantos e tantos palavrões, notas vermelhas, paixões platônicas dela, que sempre dizia que eu tinha sorte.
Ah, se Lorena me visse no começo desse ano. Toda a sorte que ela me fazia acreditar que eu tinha fora embora, eu comecei com as minhas paixões platônicas, Lorena arrumou um namorado.
Eu tirei notas vermelhas e não tive com quem chorar, eu segurei choro, porque não tinha Lorena pra se trancar no banheiro comigo e me consolar. Eu fiquei sozinha nas aulas de Educação Física, das quais nunca participo, encarando pessoas que eu mal conhecia.
Sim, Lola, eu estou feliz. Mas eu penso em você. Todos os dias. Você foi (e é, porque não?) uma das minhas melhores amigas, se não a melhor. E eu te amo, coisinha. Muito muito.

Foto da penúltima vez que Lorena me consolou, haha :)